quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Receita Federal: atenção ao ambiente de negócios


Importante a Receita Federal, ao lado da representação da Administração Tributária dos Estados e dos Municípios, reunir-se com os agentes econômicos para identificar demandas e expor iniciativas para melhorar o ambiente de negócios clique aqui.

O Doing Business constitui um projeto do Banco Mundial do qual resulta um relatório anual que expõe uma comparação da regulação para pequenas e médias empresas em 190 economias, não necessariamente países, mas regiões também que possam ser analisadas em bloco.

Os aspectos considerados são os seguintes: abertura de empresas, obtenção de alvarás para construção, obtenção de eletricidade, registro de imóveis, obtenção de empréstimos, proteção aos sócios minoritários, número e tempo para pagamento de tributos, facilidade para importar e exportar, tempo e eficácia na solução de processos judiciais relativos a contratos empresariais e avalia a aplicação das leis de falência.

Como se verifica, constitui uma ferramenta útil para uma primeira abordagem para quem pretende investir ou trabalhar em um outro país ou quando se pretende atrair investidores estrangeiros.

No ranking do doing business 2018 o Brasil está em 125. lugar, portanto no segundo quartil no ranking. Por exemplo, o Brasil está no 45. lugar para obtenção de eletricidade. Todavia, em relação ao pagamento de impostos, encontra-se em 184 lugar nos últimos lugares portanto.

Importante referir que, para avaliar o quesito pagamento de impostos, não se considera apurações descomplicadas como o Simples Nacional ou cálculo do imposto de renda pelo chamado "lucro presumido.

Adota-se a tributação do imposto de renda do imposto de renda pelo lucro real e dos tributos sobre o consumo sem as possíveis complicações para as pequenas e médias empresas. O maior problema é o tempo que uma empresa levaria para pagar impostos (quase duas mil horas por ano).

Se considerar a injustiça fiscal verificar-se-á que a situação das empresas é muito pior pois, ao invés do lucro, são obrigadas a optar por uma tributação sobre a receita.

Daí é bem vinda esta ideia da Receita Federal se aproximar dos agentes econômicos para se conquistar uma melhor avaliação no doing business já em 2019.

46 comentários:

  1. Todos os administradores tem a certeza que o pagamento de tributos será uma das suas maiores dores de cabeça, pois se não for bem feito acarretará em punições pelo governo. Para empresa de micro e pequeno porte se torna ainda mais complicado, pois esse controle torna-se complicado, pois nem tudo é feito da maneira ideal, normalmente, não por maldade ou vontade de se favorecer, mas sim, por falta de recursos para lidar com a complexidade da tributação brasileira. Desse modo, o administrador deverá despender o máximo de tempo e recursos para tentar entender e lidar com essa situação, buscar fazer tudo da melhor forma possível e torcer para o melhor.

    ResponderExcluir
  2. Os administradores de forma geral devem buscar cada vez mais se manter informados sobre os tributos,e as reformulações que devem vir por ai, assim como cada cidadão pois desta maneira conseguirá evitar qualquer transtorno futuro como multas, ou qualquer outro tipo de penalização, também desta forma estarão aptos há fazer reivindicações e sugestões a maneira de proceder do estado. Atualmente os administradores de forma geral, principalmente de pequenas empresas, estão mal capacitados em relação aos tributos que paga ao estado.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. O administrador deve gerir a empresa da melhor forma, para isso é necessária a compreensão do regime tributário. Desta forma o gestor deve se manter sempre informado das suas obrigações e possíveis mudanças que podem acontecer, assim ele pode se precaver de possíveis multas e punições que a empresa poderá sofrer futuramente. Como o regime tributário brasileiro é de alta complexidade a atenção deve ser redobrada pelos gestores e por isso estes devem usar o seu tempo e conhecimento da melhor forma a fim de entender o regime tributário, muitas das empresas são punidas por agirem de ma fé sendo que na verdade só não tinham a informação necessária.

    ResponderExcluir
  5. A gestão tributária da empresa é um assunto complexo para os empreendedores, visto que as organizações pagam diversos impostos. Em virtude disso, os administradores devem elaborar um planejamento tributário para a empresa, dessa forma, conseguem ter um controle dos tributos pagos e não são pegos de surpresa com pagamentos atrasados e, por consequência, altos valores de multa.

    ResponderExcluir
  6. Se torna complexo o assunto acerca da gestão tributária entre os empreendedores e empresários, haja vista que as empresas e organizações pagam muitos impostos. É necessário saber gerir melhor as empresas para que haja um melhor entendimento do regime tributário.
    Se houver a elaboração de um planejamento tributário prévio, é possível controlar melhor os tributos, sem que haja imprevistos. Se o administrador conseguir empenhar o maior número de tempo para aprender a lidar com a situação e contorna-la quando possível, não haverá imprevistos e o poder estará nas mãos da organização.

    KAROLINNY SANTOS DE ALMEIDA 1041521564

    ResponderExcluir
  7. É notável que os empreendedores brasileiros possuam ampla vontade de empreender, no entanto, muitas empresas deixam de existir após 2 anos de atividade (SEBRAE, 2016). O principal fator de mortalidade das empresas, por sua vez, é a falta de uma gestão eficaz. O tributo no mundo dos negócios é encarado como um problema por muitos empreendedores, cuja complexidade do sistema em nosso País acaba fazendo com que muitos deixem a situação “na mão” de seus contadores. Na era da informação e do conhecimento, é imprescindível que gestores se atenham a um planejamento tributário efetivo, multidisciplinar (que contemple outras áreas da empresa) e, principalmente, alinhado à estratégia da empresa buscando por instrumentos, eventos e projetos com que Órgãos Federais/Estaduais/Municipais vêm atuando para simplificação de obrigações tributárias.

    Referência para Relatório de 2016 do SEBRAE: Sobrevivência das Empresas no Brasil
    < http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/sobrevivencia-das-empresas-no-brasil-relatorio-2016.pdf >

    ResponderExcluir
  8. Aluna: Natanya Teles Ibrahim

    O excesso de tributação e a grande quantidade de normas que regem o sistema tributário brasileiro requer contínuos estudos e análises, que se torna, assim, um dos principais fatores responsáveis pela grande dificuldade do ponto de vista empresarial no que diz respeito à manutenção de uma empresa no Brasil. Assim, é de suma importância que o empresário esteja ciente da multidisciplinariedade envolvida no regime tributário, e opte por estar a par das tendências do sistema tributário, pois pequenas medidas preventivas, como estar ciente de tais tendências, podem contribuir para uma gestão tributária eficiente e eficaz, garantindo que a tomada de decisões na empresa seja feita de maneira a possibilitar sua plena atuação no mercado.

    ResponderExcluir
  9. Têm sido implementado programas de apoio ao micro e pequeno empresário, dando condições de competir neste mercado “agressivo”, para reduzir tanto os custos diretos como indiretos do cumprimento da obrigação tributária. A importância dessa visão está ao decidir-se por uma política de benefícios fiscais, onde o Estado reduz a carga tributária incidente sobre uma parcela da sociedade e a redistribui para os demais setores. Ao tomar consciência da racionalidade da ação do Estado, é garantido a não criação de uma casta de privilegiados e deturpação das regras seletivas de mercado. Com o objetivo de com os resultado das políticas, assegurar que o esforço extra do restante da sociedade não é "em vão" e o país, em seu conjunto consegue resultados positivos. O administrador deve tomar conhecimento dessas ações e programas para por meio do seu planejamento financeiro e tributário, optar pelo caminho que mais se encaixa com a realidade da sua empresa.

    LETICIA RODRIGUES NASCIMENTO 1041511519

    ResponderExcluir
  10. É notável a necessidade que se tem no Brasil da discussão para facilitar o pagamento de impostos para os empresários que utilizam da metodologia de tributação do imposto de renda do imposto de renda pelo lucro real. Uma vez que duas mil horas são necessárias para o empresário calcular esse imposto, logo, 83 dias completos do ano para somente essa tarefa, arrendondando, 25% do tempo de um empresário. Assim, cada segundo gasto calculando tributação é um segundo a menos que se está fazendo negócios, ou seja, indiretamente prejudicando o PIB brasileiro.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Todo administrador precisa entender o os tributos, para evitar abusos e ter que exigir analise dos mesmos, assim também como evita a perda de tempo e multas por atrasos de pagamentos. O regime tributário pode ser considerado uma das maiores dores para um empreendedor, e entender bem sobre o assunto os guia para um planejamento tributário eficaz - para isso também precisam considerar os tributos implícitos.
    O brasil precisa simplificar seu regime tributário para que os empresários tenham maior facilidade e menor perca de tempo para calcula-los

    ResponderExcluir
  13. A gestão tributária não deve ser vista como um fator isolado de pagamento de impostos, mas sim onde são considerados desde implicações tributárias em transições que a empresa possa realizar, tributos implícitos e que esses tributos representam um dentre todos os custos do negócio... Por isso, muitas vezes, essa é a área das empresas onde existe a maior "dor de cabeça", sendo possível observar a diferença de gestão de empresas de pequeno, médio e grande porte. Assim, os gestores necessitam de uma boa compreensão do sistemá tributário relacionado ao seu porte e entender como isso se encaixa no dia-a-dia da empresa e na estratégia da mesma (sendo multidisciplinar), para possibilitar a melhor tomada de decisão para o negócio.

    Aluna: Samara Anselmi

    ResponderExcluir
  14. Para a população, de maneira geral, o pagamento de impostos (muitas vezes considerado por ela abusivo) vem com a esperança de um bom retorno para a sociedade. Nesse nível, quando se fala em pessoa física, já se busca uma alternativa em que o pagamento será de menor valor, seja na forma simplificada ou detalhada. Em empresas, não é (não deve ser) diferente, já que o pagamento de impostos, seja qual for a sua natureza, gera um grande reflexo na aferição do resultado líquido da organização. Deve, portanto, assim como qualquer outro custo ou despesa, fazer parte do seu planejamento financeiro. E para isso, se faz necessário um conhecimento mínimo das leis tributárias e opções para que seja adotada a melhor alternativa. Afinal, pode acabar representando o fracasso ou sucesso da empresa.

    Aluno: Ismael Schmitt Canever

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Nos últimos anos, o Brasil tem estado na lista de países mais empreendedores do mundo, inclusive à frente dos países do BRICS (EXAME, 2018). A abertura de uma empresa, no Brasil, pode ser (e é) extremamente demorada se comparada a outros países. Além disso, a carga tributária em nosso país é uma das maiores do mundo, além de ser uma das mais complexas. Por isso, o novo empreendedor necessita realizar um planejamento adequado para esta questão, além de se manter atento à legislação tributária, já que a lei oferece oferece incentivos e opções alternativas para pagar determinados impostos em vez de outros, a fim de minimizar o desembolso.

    ResponderExcluir
  17. Para obter êxito na área administrativa, os empresários devem buscar conhecimento e alternativas que os mantenham atualizados com relação a aspectos específicos sobre tributação, alterações nas legislações vigentes, ou seja, conhecimentos relativos á área de direito financeiro e tributário. Dessa maneira, o administrador estará ciente de seus deveres e obrigações com relação à gestão tributária no país.
    Levando em consideração que o regime tributário no Brasil é complexo, pauta-se a necessidade de aprofundar o debate sobre educação fiscal, de maneira a orientar os indivíduos sobre a tributação e as suas implicações na vida das empresas e das pessoas. Para as empresas, uma alternativa eficiente é o planejamento tributário, o qual possibilita analisar os diversos regimes de tributação existentes bem como as operações lícitas que podem trazer a redução do pagamento de tributos.

    Evandro Antunes Moreira 1041511654

    ResponderExcluir
  18. Empreender é um objetivo visado por diversos administradores quando estão em formação, entretanto, muitos deles, acreditam que somente a ideia, levará o negócio para frente. No Brasil, principalmente por conta das tributações praticadas, muitas empresas ao não possuir uma gestão tributária eficaz, acabam perecendo frente à esse "mar" de tributos e leis que muitas vezes se tornam nebulosos para aqueles que não estudaram a fundo. Portanto, torna-se relevante, o aprofundamento do gestor nessa área que além de manter a moralidade da empresa frente ao governo, poderá resultar em economias financeiras. Além disso, é importante ressaltar que a gestão tributária é mais um alicerce para tomadas de decisões mais assertivas e consequentemente mais chances de prosperar.

    Yago do Prado Albuquerque

    ResponderExcluir
  19. O direito tributário pode ser caracterizado como a forma de manutenção do Estado para arrecadar recursos para a União, dividindo entre os direitos fundamentais. Analisando o ranking mundial de arrecadação de tributos, o Brasil se encontra em quinto lugar, sendo um grande contraste com sua posição no ranking de retorno de imposto, estando na última posição. Esta situação se torna desanimadora para investidores e empresários que tentam crescer em um país passando por uma crise.

    Victor Machado

    ResponderExcluir
  20. As medidas que poderiam ser tomadas para melhorar a situação desanimadora do país seriam tributos mais flexíveis, que pudessem incentivar o administrador e investidores a produzir e contratar pessoas, uma vez que o empreendedor detém uma margem pequena do lucro. Em um cenário onde o Brasil possui uma das maiores arrecadações do mundo e com um dos menores retornos, acaba aumentando ainda mais a crise que se instalou nos últimos anos. O tributo é a conduta de levar o dinheiro até o Estado, esta parte está sendo feita com sucesso, mas o retorno não tem sido eficiente.

    Marina Serra

    ResponderExcluir
  21. O desafio do empreendedor brasileiro na área tributária vai além dos altos valores desembolsados, um outro grande problema é a complexidade do sistema tributário brasileiro. Esse tema exige do empresário um profundo conhecimento, algo que na prática muitas vezes não ocorre, ocasionando assim problemas para os empreendedores. Infelizmente, muitas vezes a consequência disso é a falência, extinção da empresa.

    Silas Garcia

    ResponderExcluir
  22. Que se aventurar como empresário no Brasil não é tarefa para amadores, todos estamos cientes do assunto. Para tornar essa tarefa mais árdua, temos em nosso país uma enorme e complexa legislação fiscal. Existem mais de 80 tipos de tributos existentes no Brasil. Segundo dados do IBPT, uma empresa brasileira segue aproximadamente 3800 normas tributárias, desse modo tentar se manter “atualizado” ou por dentro de todas as essas normas torna-se uma tarefa hercúlea. Diante desse cenário, surge a necessidade de uma reforma tributária “para ontem”, para que traga um pouco de alívio ao empreendedor brasileiro e torne o país mais competitivo frente a outras nações.

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Segundo uma pesquisa realizada pelo IBGE em 2017, pouco mais de 60% das empresas que abrem no Brasil fecham as portas em 5 anos. Certamente um dos principais fatores que acarretam essa situação é a tributação, não somente pelos seus excessos, mas também por não ser um assunto de fácil entendimento, há divergências e dúvidas até entre pessoas capacitadas da área. Com isso, manter uma empresa aberta em âmbito nacional se torna um desafio para a economia brasileira e principalmente para pessoas que desejam empreender. Desse modo, procurar acompanhar e entender o sistema tributário, sua modificações e exceções se torna uma tarefa diária dos empresários.

    ResponderExcluir
  25. É claro para todo empreendedor brasileiro que abrir seu próprio negócio não é tarefa fácil. No Brasil, há uma grande demora para abrir sua empresa e os tributos são muito altos. Porém, não devemos nos decepcionar e desistir de nossos sonhos frente as adversidades, mas sim se preparar da melhor forma e tentar minimizar esses inconvenientes.

    Uma boa forma é estudar sobre tudo que envolve sua empresa; dentre eles, os tributos cobrados. A partir disso, é possível montar seu planejamento tributário e evitar possíveis multas e atuações fora da legalidade, o que acabaria comprometendo o nome sua empresa.

    ResponderExcluir
  26. Num cenário econômico como o brasileiro, se torna muito difícil para novos empreendedores abrirem as portas. Isso se deve a uma falta de preparo e estudo sobre a tributação do país, mas também ao excesso de impostos cobrados das empresas, dependendo do produto / serviço essa cobrança pode passar dos 60%.

    Maurício Cantelli Júnior.

    ResponderExcluir
  27. Em um país onde se encontra grande parcela de informalidade no mercado e elevada taxa de mortalidade das empresas, a diversidade de impostos e normas do sistema tributário complicam a gestão de qualquer negócio a ser aberto e mantido no Brasil.
    Um empreendedor, além de se preocupar com os diversos aspectos envolvidos em preservar uma empresa saudável em funcionamento, ainda deve estudar e estar sempre atualizado em relação aos tributos que deve pagar. Para isso, torna-se importante que o gestor tome precauções e elabore previamente um planejamento tributário e financeiro, sabendo suas obrigações com o regime tributário brasileiro e evitando complicações futuras no nome do seu negócio.

    ResponderExcluir
  28. Como administrador de empresa própria ou de terceiros, cônscio de suas obrigações e deveres e a par de que, para uma boa gestão é essencial a interdisciplinaridade entre todas as funções e processos existentes em uma empresa, deve-se ficar atento a toda prática e legislação tributária necessária às organizações, as quais devem ser postas em ação. Pode-se dizer que os tributos vão ser ou são uma das partes com maior dificuldade para uma empresa, pois sendo exagerados e injustos, podem desmotivar o crescimento ou a continuação de um negócio; Porém, o não cumprimento dos mesmos acarreta em penalidades, multas e o não funcionamento da organização. E somente estando legalizada e limpa frente ao governo e a sociedade, é que a empresa pode lutar e exigir seus direitos como pessoa jurídica.

    Bruna Wolff

    ResponderExcluir
  29. Ao falar sobre a importância da gestão tributaria em uma empresa, seja ela micro ou grande, é evidente a revolta de muitas delas pela quantidade de tributos cobrados no Brasil. Apesar das taxas exorbitantes, é necessário que haja uma compreensão sobre como esses tributos (explícitos e implícitos) são cobrados para que, junto com as outras áreas da organização, se maximize o valor da empresa. O planejamento tributário deve ser encarado como parte da organização e deve considerar a multidisciplinaridade da empresa e as estratégias definidas por ela.

    ResponderExcluir
  30. A quantidade excessiva de tributos sobre as organizações é altamente desmotivante para os empreendedores brasileiros. Além dos custos financeiros, a burocratização torna o simples fato de abrir um negócio, algo penoso e demorado. O empreendedor precisa dispensar muito do tempo que poderia estar dedicando ao seu negócio para calcular e pagar os tributos do mesmo. Sem falar que, o retorno que estes impostos deviam trazer, não são visíveis e não contribuem para o desenvolvimento econômico do país. A fim de evitar complicações, o administrador deve estar sempre a par da tributação do país e buscar integra-la a gestão de sua empresa.

    Aluna: Tainá Kuchnier de Moura

    ResponderExcluir
  31. O gestor de sucesso precisa compreender e entender os tributos, para trabalhar de forma eficaz assim evitando abusos e exigindo analise dos mesmos, assim também como evita a perda de dinheiro com multas ou pagamento a mais com a tributação. Para isso é necessário que a pessoa entenda sobre os tributos (explícitos e implícitos) para que junto dos outros setores da empresa a empresa trabalhe e opere de forma inteligente e legal. Alem do mais permite uma transparência e uma legalidade jurídica perante o governo e outros órgãos do estado.

    Roberto Michels Filho

    ResponderExcluir
  32. Um bom gestor precisa atrelar seu planejamento estratégico a um bom plano financeiro e tributário, com o intuito de, visto o fato de que os impostos são gastos regulares e que sempre irão existir, tornar um modo de que isto não atrapalhe demasiadamente o andamento do negócio. Desta forma, tornar-se atualizado a toda legislação tributária é algo extremamente necessário, visto que um conhecimento sobre este assunto trará inúmeros benefícios para a empresa em questão.

    Júlia dos Santos Pereira

    ResponderExcluir
  33. O planejamento tributário no Brasil é um desafio enorme para os administradores, pois a complexidade para se apurar e pagar impostos e tributos é tamanha que cerca de duas mil horas são dedicadas a tal função por ano. A gestão tributária exige uma visão multidisciplinar, e entende-se que ao exigir que o administrador dedique tanto tempo a um só aspecto da tomada de decisão a própria legislação acerca da tributação dificulta o planejamento tributário nas empresas. O gestor deve ter um conhecimento generalista sobre os tributos no Brasil e optar por consultar um profissional especializado na área para a realização da gestão tributária e para se beneficiar dos incentivos fiscais nos quais a empresa possa se enquadrar.

    Marina Macha Lacerda de Oliveira

    ResponderExcluir
  34. A legislação tributária brasileira se apresenta de maneira muito complicada e de difícil entendimento para quem pretende empreender. São diversos requisitos para que a empresa seja tributada dentro de determinada classificação, e isso muitas vezes desestimula o empreendedor a buscar melhorias ou formas de facilitar o método de tributação de sua empresa. Muitos empresários, com o intuito de apenas seguirem a legislação para não serem multados, contratam outras pessoas ou empresa para que façam a parte tributária de sua empresa. De maneira geral, no Brasil não há estímulo para que o gestor conheça de forma correta o sistema tributário brasileiro.

    Carolina Küster Monaco.

    ResponderExcluir
  35. O processo de formalização de uma empresa no Brasil é bastante complexo, isso faz com que o planejamento tributário de uma empresa seja uma das principais dores de cabeça de um empreendedor. Devido à ausência de conhecimento de muitos empresários com relação aos modelos de tributação e às normas, muitos acabam ficando muito na mão e dependendo muito de empresas de contabilidade. Isso possui um lado positivo, já que tira uma responsabilidade do empresário, que deve se preocupar com atividades mais finalísticas da empresa e a atividade principal da mesma e, ao mesmo tempo, um lado negativo, já que acaba tornando o mesmo leigo e ficando por fora de muitas decisões importantes da parte jurídica da empresa. Assim, acredito que todo empreendedor deveria procurar estar mais a par de decisões que envolvam a gestão tributária da sua empresa, e possuir um conhecimento nível básico para não deixar tudo na mão de terceiros.

    Aluna: Heloisa Marangoni Marcineiro

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  37. O Brasil é um dos países que mais dificulta a regulação para que empreendedores consigam abrir sua empresa, seja ela pequena ou media. Para o pagamento de impostos essa colocação fica ainda pior. No meio de tantos tributos exigidos, o empresário deve sempre buscar se manter informado, pois qualquer esquecimento e/ou descuido será cobrado multas, e isso pode ser fatal para uma microempresa ou um negócio não estruturado. Para que isso não ocorra é muito importante que o gestor compreenda e esteja sempre ligado aos prazos e a possíveis mudanças tributárias. Montar um planejamento tributário pode facilitar a visão do administrador e assim fazer com que nada fique atrasado ou esquecido.

    Manoela Quintino de Souza.

    ResponderExcluir
  38. A legislação tributária aplicada nas empresas não só é "pesada", mas muito complexa. O desafio do empreendedor está em fazer um planejamento tributário que identifique qual vai ser o valor real de impostos a ser pago pela empresa, não só a curto prazo mas a medida em que ela cresce. O empresário aqui deve ter um pensamento correto sobre como lidar com esses impostos, que nada mais devem ser do que custos necessários para o funcionamento da empresa, e que com um planejamento adequado, permite ao empreendedor conhecer melhor o resultado e a capacidade de crescimento de sua empresa.

    Lucas Alexandre Neis

    ResponderExcluir
  39. Diversos são os motivos que fazem com que pessoas interessadas em empreender percam esse desejo rapidamente. Na teoria, as coisas parecem muito mais simples, porém na prática funcionam atreladas a uma série de variáveis que acabam por decepcionar os empresários, sendo uma dessas a legislação tributária imposta no Brasil. Com tanta burocracia, mudanças e rigidez relacionadas ao fisco, acaba-se fomentando uma política de não incentivo ao crescimento, fazendo com que muitos optem pelo caminho mais lucrativo porém criminoso, o das fraudes fiscais. Pode -se falar que a falta da busca de informações causadas pelo desinteresse das pessoas quando deparam-se com o tema contribui para a complicação do mesmo, causando surpresa e decepção tardia.

    Vinícius Simas

    ResponderExcluir
  40. Um dos momentos mais complicados para o empreendedor é definir o regime de tributação que a companhia vai ser inserida. Pois o Brasil é conhecido por contar com uma das cargas tributarias mais altas do mundo. É importante salientar que para isso, é necessário ter um certo conhecimento sobre as normas fiscais e tributárias, desta forma o processo será facilitado. Especialmente no caso de pequenas e médias empresas, que em geral contam com um orçamento enxuto, tornando-se necessário planejar e conhecer cada um dos tributos para que não afete prejudicialmente o faturamento e a sustentabilidade do negócio. É preciso conhecer cada tributo para não recolher a mais que o necessário.

    Beatriz Oliveira da Cunha

    ResponderExcluir
  41. "Nada neste mundo é certo, exceto a morte e os impostos" - Benjamin Franklin.

    Seja qualquer a situação, seja qualquer a área de atuação, cabe ao gestor capacitado a ciência de sua responsabilidade fiscal. Se o compromisso é certo (salvo condições específicas), por que não enfrentar as cargas tributárias de maneira menos "nociva" para a organização? O Gestor capacitado deve, indispensavelmente, tomar conhecimento da legislação tributária atribuída ao local de atuação, para que assim possa usufruir de vantagens e facilidades quanto ao cumprimento de suas responsabilidades fiscais (p.e.: atribuição de regime tributário), bem como arquitetar um melhor planejamento tributário para a empresa, garantindo, consequentemente, um melhor retorno para a organização.

    ResponderExcluir
  42. A dificuldade das empresas de realizarem uma boa gestão tributária não é algo particular do ambiâm dos negócios. Considerando toda educação basica brasileira, os alunos nao tem nenhum contato com o direito, o que contribui ao meu ver a uma alienação e maior desigualdade pois apenas os mais fevorecidos intelectualmente e financeiramente conseguirão driblar as dificuldades e complexidades da lei. O direito, apesar de conter princípios como o da anterioridade que prevê um tempo suficiente para a população se preparar para por exemplo uma mudança na alíquota de algum tributo, peca ao meu ver em seu caráter excludente no que diz a respeito ao seu linguajar. O direito tem impacto na vida de todos os cidadãos e organizaçoes, porém assim como as políticas públicas é redigido de maneira que apenas uma pequena parcela da população possa entender. Ranckings como o Doing Business vem como uma boa ideia para melhorar esse cenário porém ainda há muito trabalho a ser feito para uma melhor organização do nosso país.

    ResponderExcluir
  43. A gestão e o planeamento tributário que em tese seria para auxiliar o administrador, acaba por não suprir todos os nuances da complexidade do sistema tributário nacional. Há desconhecimento, uma ausência de informações precisas e claras que possibilite compreender a intitulada colcha de retalhos, que é nosso sistema tributário nacional.

    ResponderExcluir
  44. De acordo com o IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário), o sistema tributário brasileiro é o mais complexo e caro do mundo. Além disso, as normas tributárias sofrem alterações com muita frequência, de forma que os empresários que desconhecem a legislação são prejudicados.
    Diante da obrigação tributária por parte das empresas, verifica-se que os empresários brasileiros não têm uma visão correta do que fazer como fazer. Dessa forma, é preciso que se tenha uma visão correta acerca das leis e obrigações para que seja possível realizar a análise dos tributos, bem como seus reflexos na organização, e assim tomar decisões assertivas e preventivas através do planejamento tributário.
    O planejamento tributário deve permite, por meio de cálculos baseados em projeções de resultados, reduzir o ônus tributário estando ao mesmo tempo em conformidade com a lei.

    Joana Jenichen Janssen

    ResponderExcluir